terça-feira, 24 de setembro de 2013

StepMap

StepMap permite-nos criar mapas individuais sobre o tópico que escolhermos. Para isso basta registarmo-nos no site e começar a "desenhar" os nossos mapas. 
O processo de criação de mapas é relativamente simples, sendo apenas necessário seguir 4 passos:
- primeiro: selecionar o mapa que queremos (visão mais geral: mundo, continentes, países; ou mais específico: cidade, determinadas zonas da cidade, ruas).
- segundo: adicionar marcadores de localização no mapa. Há uma série muita variadas de icones que se pode selecionar e utilizar e podemos inclusive optar por colorir as diferentes zonas do mapa
- terceiro: adicionar informação extra (imagens, videos, texto, e ficheiros audio) em qualquer ponto do nosso mapa (este passo é opcional).
- quarto: guardar o mapa na nossa conta. Para isso será necessário adicionar uma pequena descrição, um título e etiquetas, que ajudem os outros a identificar o conteúdo do mapa.
Após estes quatro passos o nosso mapa está pronto a ser partilhado. O StepMap permite embeber os mapas directamente no nosso site/blog, partilhar apenas o link ou, se assim o quisermos, fazer o download do mesmo.
A qualquer altura podemos aceder aos mapas que criamos e voltar a editá-los.

Como usar StepMaps nas aulas?
Este tipo de ferramenta poderá ser útil para várias disciplinas, já que nos permite testar várias competências. Em geografia podemos pedir aos alunos para identificarem países e cidades, criando mapas como  este. Em matemática podemos apresentar mapas que apresentem estatísticas como este. Em história podemos apresentar o avanço de tropas nos países envolvidos em conflitos, adicionando imagens, videos e texto que tornem mais claro o tópico abordado. Em Educação visual podemos optar por criar um mapa que nos mostre o percurso de um determinado artista e as suas diferentes obras ao cruzar de um país para outro ou mesmo as mudanças que uma técnica em particular sofre quando é utilizada em diferentes partes do globo. Em português poderemos documentar o percurso de personagens numa história ou simplesmente usar o mapa criado para narrar a nossa própria história. Nas línguas estrangeiras podemos criar um mapa de um local que os alunos conheçam e praticar o dar e pedir direções; podemos criar uma apresentação sobre aspectos culturais de um determinado país, uma vez mais utilizando a possibilidade que o StepMap nos dá para adicionar informação extra; podemos praticar vocabulário relativo aos países e ás nacionalidades, usando um mapa semelhante ao apresentado acima para geografia e um projetor/quadro interativo; podemos criar brochuras, apresentar planos de viagem ou criar roteiros turisticos. 
Como podem ver as possibilidades são muitas. :)

Abaixo coloquei um tutorial disponibilizado pelo próprio StepMap. Acedam, experimentem e decidam da sua utilidade para as vossa aulas.    


Share/Save/Bookmark

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Popplet

Existem à nossa disposição inúmeras ferramentas que têm o mesmo fim. Tratando-se da web2.0 onde, quase que diariamente, surgem e desaparecem ferramentas é sempre bom conhecermos mais do que uma. Já experimentei várias destinadas à criação de mapas conceptuais, mas fiquei agradavelmente surpreendida com o Popplet.
O Popplet é extremamente intuitivo e fácil de gerir. Basta aceder, criar uma conta e estamos prontos a criar os nossos mapas. Podem ser inseridos mapas (Google maps), imagens, vídeos e texto. O resto depende da nossa capacidade  de criação. Pode haver mais de uma pessoa a colaborar no mesmo mapa, sendo inclusive possível usar "nametags" para identificar quem adicionou o quê. Uma das características do Popplet que me cativou imenso foi a possibilidade de fazermos zoom e de criarmos apresentações com o nosso mapa conceptual. Para isso basta que, à maneira do Prezi, se defina previamente o caminho a seguir, depois é só clicar em "record" para se guardar o caminho definido e, em seguida, basta clicar em "play" para lançarmos a apresentação.
Depois de terminado facilmente partilhamos o nosso mapa quer através das redes sociais, ou através do download do mesmo como PDF ou imagem.

Como usar Popplet nas aulas?
Como qualquer outra ferramenta de criação de mapas conceptuais o Popplet, permite-nos:
- apresentar tópicos abordados em aula de uma forma simples, sucinta e clara;
- abordar vários tipos de relação (tempo, dependência, ordem, contradição);
- criar esquemas para prática de vocabulário;
- pedir aos nossos alunos que criem mapas conceptuais para apresentarem trabalhos, ideias relevantes, sobre tópicos abordados em aula.

Abaixo coloquei um mapa que criei. Podem seguir o link e visualizá-lo directamente no Popplet. Deixo-vos também um pequeno vídeo que mostra o mesmo mapa no modo de apresentação. Acedam e experimentem.

video


Share/Save/Bookmark

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

PuzzleFast

PuzzleFast é uma das mais simples ferramentas que conheço para criar "word search", "crosswords" e "scrambled words". Não é necessário qualquer registo, basta aceder, seleccionar o tipo de actividade que se quer criar, introduzir o vocabulário (e respectivas pistas) e prontamente temos acesso ao produto final, mais a correcção do mesmo, pronto a ser utilizado após impressão. O tamanho do nosso puzzle pode ser alterado, clicando nos botões "+" e "-" . É possível passar de um tipo de actividade para outro, bastando para isso voltar a seleccionar e clicar em "Make my Puzzle" outra vez. 

Como usar PuzzleFast nas aulas?
Este tipo de ferramenta é sempre útil para qualquer disciplina, pois permite-nos rapidamente testar a aquisição de vocabulário e de conceitos. 
Como sou apologista do pedir aos alunos para contribuírem para criação das tarefas da sala de aula, acho que toda a turma sairia beneficiada se fossem os próprios alunos a criar estas actividades para os seus colegas praticarem o vocabulário e conceitos relativos a tópicos abordados em aula. 
Outra actividade possível seria conjugar o PuzzleFast com o Easydefine e a Lexipedia e ir criando bancos de palavras que poderiam ser utilizados no puzzlefast ao longo do ano lectivo ou em "spelling bees" e actividades de escrita livre onde teriam de utilizar um determinado número de palavras do dito banco.

Abaixo coloquei uma "word search" que criei a título de exemplo. As pistas estão em português e os alunos teriam de encontrar na sopa de letras a tradução em inglês.

Share/Save/Bookmark

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Universal Subtitles

Universal Subtitles é uma ferramenta que nos permite adicionar legendas a vídeos online. É, sem dúvida, uma das mais simples e intuitivas que já experimentei até hoje. Para efectuar a legendagem basta aceder, inserir o link para o vídeo e depois é só ouvir e digitar as legendas. No modo mais simples, o Universal Subtitles faz uma pausa a cada 8 segundos para nos dar tempo para introduzir o texto. Se mesmo assim precisarmos de mais tempo podemos facilmente voltar atrás e ouvir de novo. O processo de legendagem divide-se em três fases: a primeira prende-se com o ouvir e inserir as legendas (convém ir clicando em "enter" com alguma frequência, para já ir segmentando o texto); o segundo tem a ver com a sincronização do texto com o áudio e o terceiro permite-nos editar e corrigir o texto introduzido. Depois de terminarmos facilmente partilhamos o vídeo,através das redes sociais ou o embebemos directamente no nosso site/blog.

Como usar Universal Subtitles nas nossas aulas?
Para além de podermos ajudar os alunos com dificuldades auditivas a compreender melhor os vídeos que seleccionamos para as nossas aulas, poderemos também criar actividades para prática de vocabulário - fornecer-lhes legendas erradas para eles corrigirem; deixar espaços em branco para preencherem - ou inserir questões e notas apontando para aspectos que queremos realçar. Sem esquecer que poderemos pedir aos nossos alunos para adicionarem eles próprios as legendas, que depois poderiam ser corregidas pelos colegas. Um trabalho interessante seria pedir-lhes que primeiro criassem o vídeo, sobre algum tópico abordado na sala ou simplesmente uma história inventada por eles e depois adicionassem as legendas que poderiam inclusive ser traduzidas para outras línguas que estivessem a aprender.

Abaixo coloquei um vídeo criado por Raul Reátiga sobre a família no qual introduzi legendas. Experimentem e decidam da sua utilidade para as vossa aulas.


Share/Save/Bookmark

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Summaries & Paraphrases

Summarity e Paraphrase são duas ferramentas que nos ajudam a fazer resumos e a evitar paráfrases. Nenhuma delas requer registo, basta aceder e utilizar. Summarity permite-nos aceder a resumos de páginas web - será necessário arrastar o bookmarklet "Use summarity as you browse" para a nossa barra de ferramentas - ou introduzir textos nossos para serem resumidos. O próprio resumo pode depois ser editado por nós e voltar a ser resumido se assim o quisermos. Paraphrase, por seu lado, permite-nos inserir texto para ser reescrito, proporcionando-nos depois uma análise que nos diz se estamos a parafrasear o texto ou se efectivamente conseguimos dar-lhe o nosso cunho pessoal, afastando-nos da mera paráfrase.

Como usar Summarity e Paraphrase nas aulas?
Todos nós já recebemos trabalhos que são um mero "copy & paste" de textos online. Estas duas ferramentas podem ajudar os nossos alunos a fazerem resumos e a reescrever textos. Podemos, por exemplo, dar-lhes um texto para que façam o resumo e comparar depois com a versão do Summarity, aproveitando para abordar, através da análise dos dois textos, as características de um bom resumo. Se utilizarem o Summarity poderão também facilmente ter uma ideia do conteúdo de uma página web e decidir se vale a pena lê-la na íntegra ou não, conseguindo, dessa forma, rentabilizar mais o seu tempo de pesquisa. Podem usar depois o Paraphrase para treinarem a sua escrita de forma a manterem o essencial do conteúdo mas por palavras suas.

Abaixo coloquei dois screenshots. Acedam, experimentem e decidam da sua utilidade para os vossos alunos.

Share/Save/Bookmark

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Photo Effects

Tuxpi e Converttocartoon são mais duas ferramentas que podemos utilizar para editar as nossas fotos. Basta aceder, seleccionar o efeito que queremos, aplicá-lo e depois fazer o download da nova imagem para o nosso computador. O número de efeitos e molduras disponíveis no Tuxpi é superior, podendo-se inclusive adicionar texto às fotografias. Contudo, sou apologista de um mashup entre estas duas ferramentas para optimizarmos  o que podemos criar. Não é necessário registo para nenhuma delas. 

Como usar Tuxpi e Converttocartoon nas aulas?
Adoro as possibilidades que este tipo de ferramentas nos abre, principalmente se utilizadas em conjunção com outras, como, por exemplo, o Showbeyond, o Photopeach, o Animoto ou o Fotobabble. Podemos pedir aos alunos para criar BDs personalizadas, apresentações únicas e narrativas digitais. No passado Novembro o New York Times publicou uma notícia, cujo título era Picture This! Building Photo-Based Writing Skills que nos oferece óptimas ideias sobre como usar imagens para desenvolver a escrita. Janet Bianchini, a quem admiro muito, também já publicou um post intitulado Images4Education 2010, onde nos apresenta algumas actividades com imagens.

Abaixo coloquei screenshots do Tuxpi e do Converttocartoon. Acedam e experimentem.


Share/Save/Bookmark

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Comic Master

Comic Master faz parte do projecto Reading for Life, cujo objectivo é promover a leitura. Para além do Comic Master, que como o próprio nome indica tem a ver com a criação de banda desenhada, o Reading for Life disponibiliza mais actividades que valem a pena explorar. Podem ver abaixo um screenshot das actividades disponíveis. Cliquem na imagem para explorar.
No que diz respeito ao Comic Master, não é necessário qualquer registo, basta aceder e utilizar. Todo o processo de criação da BD é intuitivo, baseando-se num simples "drag and drop" dos elementos que queremos utilizar.  É possível seleccionar o layout da BD, os fundos e as personagens - note-se, no entanto, que o número de fundos, personagens e adereços é  muito limitado. Depois de organizarmos os elementos na página, podemos adicionar balões de texto e criar a nossa história. Quando terminamos podemos proceder à impressão da história ou guardá-la no nosso computador em formato PDF. Quem tiver optado pelo registo no Comic Master poderá guardar a história criada na sua conta e voltar a editá-la mais tarde. 

Como usar Comic Master nas aulas?
Comic Master não será o mais completo criador de BDs que já tive o prazer de experimentar, nesse aspecto o ToonDoo continua a ser o meu preferido, mas dá-nos a oportunidade de criarmos as nossas aventuras muito facilmente. Além de que, usada em conjunção com os restantes recursos disponibilizados pelo Reading for Life, é sem dúvida uma ferramenta que convém guardar nos nossos favoritos.
Porque não pedir aos alunos que criem uma narrativa digital sobre um tópico a ser abordado em aula? Porque não criar aventuras mensais para os heróis disponibilizados pelo Comic Master? Porque não usar esta ferramenta em conjunção com outras, tal como Toondoo, Strippgenerator ou o Bitstrips e criar um mash up, integrando as BDs criadas pelas diferentes ferramentas num único livro de BD que poderemos  depois publicar online?

A título de exemplo coloquei abaixo uma simples BD que criei. Acedam e experimentem também.


Share/Save/Bookmark

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Recipes4Success

Recipes4Success é mais um produto de Tech4Learning. Recipes4Learning proporciona-nos o acesso a várias ferramentas - Rubric Maker, para criar rubricas e listas de verificação; Graphic Organizer Maker, para elaborar esquemas e Citation Maker, para organizar bibliografia  - e recursos - Lesson Library, onde podemos aceder a planos de aula e Project Learn, onde podemos aceder a vários guias e tutoriais.
Embora para se ter acesso à totalidade dos recursos seja preciso registo e pagamento, os itens acima referidos podem ser consultados e utilizados livremente.

Como usar Recipes4Success nas aulas?
Tech4Learning proporciona-nos uma óptima oportunidade de podermos aceder e utilizar num único lugar ferramentas que são sempre de uma mais valia para qualquer professor. Através de, por exemplo, o Rubric Maker, rápida e facilmente criamos rubricas que após download (formato Excel) poderemos guardar e alterar como quisermos. Os planos de aula apresentados no site também são de qualidade, oferecendo-nos não só o material a utilizar, mas também indicando a forma de avaliação e ligando os aspectos abordados em aula com o currículo. O que nos poupa imenso trabalho. 
Recipes4Learning também poderá ser utilizado pelos alunos que poderão criar os seus próprios esquemas e as suas rubricas e listas de verificação para melhor organizarem os seus trabalhos de grupo/projecto.

Abaixo coloquei um screenshot das secção das "Tools". Acedam experimentem e decidam da sua utilidade para as vossas aulas.


Share/Save/Bookmark

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

DaFont

DaFont permite-nos aceder a inúmeros tipos de letras que podemos utilizar para dar mais vida aos nossos textos. Não é necessário qualquer registo, basta aceder, seleccionar a fonte que nos interessa e clicar em "download". Depois de termos o Zip no nosso computador, será necessário extrair o ficheiro e instalá-lo. Para utilizarmos, basta abrir um documento word, seleccionar a fonte e começar a digitar o texto.  Contudo há que ter em atenção dois aspectos. Primeiro, embora a maioria das fontes disponíveis possam ser utilizadas sem restrição, existem algumas que são propriedade dos seus autores, por isso convém verificar a licença. Segundo, embora o Word nos permita a utilização das fontes que instalamos, por vezes quando tentamos imprimir, essas fontes são alteradas. Poderemos facilmente contornar isto convertendo o documento em PDF ou simplesmente fazendo um "print screen" e transformando o texto em imagem.

Como usar DaFont nas aulas?
Já conheço DaFont há muito tempo. Recentemente voltei a utilizá-lo para criar textos para o Halloween. Após uma breve visita ao site facilmente se constata o potencial das várias fontes disponíveis. Podemos, por exemplo, criar posters para uma festividade com fontes específicas da mesma; criar logótipos para projectos escolares; adicionar outro nível de leitura a uma história contribuindo para a construção do ambiente da mesma. Podemos inclusive, pedir aos alunos que seleccionem uma fonte e criem um texto e antes da sua leitura, pelos colegas, debater o sentimento transmitido pela selecção do tipo de letra.  

Abaixo coloquei um vídeo que aborda muito sucintamente o DaFont. Coloquei também a imagem da palavra Halloween, que usei nas actividades sobre esta festividade.  







Share/Save/Bookmark

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

ReadSpeaker

ReadSpeaker oferece-nos a possibilidade de dar voz ao nosso espaço online, permitindo aos nossos visitantes ouvir o conteúdo que publicamos, em vez de o ler. O processo é simples. Basta aceder e seleccionar o tipo de conta que queremos - o ReadSpeaker disponibiliza os seguintes:
A conta grátis apenas permite a selecção de uma língua, mas será certamente suficiente para qualquer um de nós. Depois deste passo, introduzimos a URL do nosso site/blog, seleccionamos  a voz (masculino ou feminino)  e adicionamos o plug-in. Pode parecer confuso, mas não é, já que todo o processo é feito na base de simples cliques nas opções que queremos. 
Assim que terminamos basta aceder ao nosso site/blog clicar sobre o título do post que queremos,  clicar em "ouvir" e rapidamente o ReadSpeaker lê o conteúdo do post.

Como usar ReadSpeaker nas aulas?
Como qualquer outra ferramenta de conversão de texto em voz o ReadSpeaker irá permitir que possamos disponibilizar conteúdo online, nos blogs que usamos com os nossos alunos, que lhes darão a possibilidade de não só ler, mas também ouvir o que publicamos. O que será uma mais valia para alunos com dificuldades e/ou com deficiências visuais. Além disso poderemos rapidamente criar actividades de "listening comprehension" ou mesmo ditados e desafios, bastando para isso publicar os textos com a mesma cor do fundo, de forma a que não se consiga ler, fazendo depender a sua compreensão inteiramente do que ouvem.

Abaixo coloquei um screenshot do ReadSpeaker. Se quiserem experimentar, antes de o instalarem, basta clicarem no título deste ou de outro post neste blog e terão a possibilidade de ouvir o ReadSpeaker. 

Share/Save/Bookmark