quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Poetry Archive / Perform -a-Poem

Poetry Archive e Perform-a-Poem são sites que, como o próprio nome indica, promovem a poesia, relembrando-nos que a poesia começou por ser oral.
O Poetry Archive disponibiliza um arquivo que tenta abranger a maior variedade de estilos poéticos possível, tentando complementá-la com material educativo, oferecendo-nos a possibilidade única de ouvirmos os poemas serem declamados pelos próprios autores. Defendendo que o som do poema é tão importante para a sua existência como o significado que as palavras possam ter numa página, ensina-nos a apreciar o poder da declamação. O Poetry Archive facilita o processo de pesquisa, já que possibilita várias forma de a efectuar - por poeta, por poema, pelo tipo e pelo tema. Disponibiliza uma secção para professores, onde podemos encontrar ideias e planos de aulas prontos a serem usados. Disponibiliza também uma secção dedicada a poesia infantil, onde abundam poemas apelativos à espera de serem explorados.
O Perform-a-Poem por seu lado, é onde iremos encontrar vídeos de alunos a declamar poemas. O site disponibiliza vários recursos para os professores e pretende trazer de volta o prazer da declamação, da interpretação de poemas, convidando os alunos a fazerem vídeos das suas declamações e os colocarem no site. Contudo apenas podem fazer o upload de vídeos as escolas na zona de Londres. De qualquer maneira desde que se respeite o copyright dos poemas a serem declamados não há razão para não podermos seguir a ideia do Perform-a-Poem.

Como usar Poetry Archive e Perform-a-Poem nas aulas?
Há muito que se pode fazer com estes sites. Podemos começar por explorar o Poetry Archive, aproveitar e adaptar os planos de aula já disponíveis, dar a conhecer um determinado poeta, dar espaço para os alunos sentirem o quão poderoso pode ser uma boa declamação. Dar-lhes a oportunidade de gravar (áudio) a si próprios a declamar um poema e depois compará-la com a do Poetry Archive, explorando o quanto as diferenças de tom, pronúncia e entoação fazem com que se sinta o poema de outra forma.  Depois podemos apresentar-lhes o Perform-a-Poem, mostrar-lhes alguns vídeos e desafiá-los a dar o seu contributo. Tendo em mente o copyright talvez seja preferível usar os poemas disponíveis no Project Gutenberg.

Abaixo coloquei dois screenshots. Acedam e explorem verão que não se arrependem.

 


Share/Save/Bookmark

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

IZArc

IZArc permite-nos aceder à maioria dos tipos de ficheiros comprimidos. Facilitando o processo de descompressão e extracção desses ficheiros e permitindo inclusive a conversão de um tipo de arquivo para outro.
Será certamente uma ferramenta que todos aqueles que já receberam ficheiros "zipados" numa extensão estranha - 7-ZIP, A, ACE, ARC, ARJ, B64, BH, BIN, BZ2, BZA, C2D, CAB, CDI, CPIO, DEB, ENC, GCA, GZ, GZA, HA, IMG, ISO, JAR, LHA, LIB, LZH, MDF, MBF, MIM, NRG, PAK, PDI, PK3, RAR, RPM, TAR, TAZ, TBZ, TGZ, TZ, UUE, WAR, XXE, YZ1, Z, ZIP, ZOO - irão apreciar. O IZArc é grátis, bastando aceder ao site, fazer o download do software e instalá-lo no nosso computador. Após instalação podemos utilizá-lo e embora o IZArc seja simples estão disponíveis tutoriais para o utilizador mais inexperiente.

Como utilizar o IZArc nas aulas?

Esta não é uma ferramenta que tenha uma utilização prática nas aulas, mas é mais uma daquelas que qualquer aluno e professor tem tudo a ganhar em conhecer.
Não raras vezes, tanto nós como os nossos alunos necessitamos enviar ou guardar ficheiros que são grandes, tornando o nosso computador mais lento e ocupando espaço que poderia ser utilizado para outra coisa. Se aprendermos a utilizar ferramentas como IZArc rapidamente comprimimos esses ficheiros, tornando-os mais pequenos e por consequência mais manuseáveis e mais facilmente partilhados.


Abaixo coloquei um screenshot da página principal do IZArc. Acedam e decidam se vos poderá ser útil.


Share/Save/Bookmark

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Storytubes

Storytubes é um projecto que visa promover a leitura através da criação de pequenos vídeos (máximo 2 minutos). Qualquer professor de línguas já pediu aos seus alunos para apresentarem um "book report", uma espécie de ficha de leitura sobre um livro que tenham lido. Às vezes deixamos ao critério dos alunos qual o livro a apresentar, outras impomos leituras obrigatórias. De qualquer maneira, em ambos os casos, regra geral, encontramos sempre oposição por parte dos alunos que simplesmente não gostam de ler. O Storytubes tenta contornar essa oposição, usando o gosto que os alunos têm pela tecnologia em prol da leitura. A ideia é apresentar o livro favorito através de um vídeo. O projecto assume a forma de um concurso que está aberto a alunos, desde a primária até ao secundário. Após a criação do vídeo será necessário colocá-lo online no YouTube ou no TeacherTube e preencher um formulário.   De momento o concurso está aberto apenas a alunos dos Estados Unidos da América, do Canada e da Nova Escócia, sendo o período de submissão de vídeos de 20 de Janeiro a 28 de Fevereiro. Mas é possível enviar um e-mail à organização referindo o nosso interesse em participar e, talvez, em edições futuras seja possível abrir o concurso a outros países.

Como usar Storytubes nas aulas?
É certo que o concurso não está aberto a todos nós, mas um projecto destes vale a pena divulgar. Além de que mesmo não podendo participar no concurso oficial sempre podemos usar a ideia e pedir aos nossos alunos para criarem os seus próprios vídeos sobre o seu livro favorito. Podemos inclusive dar-lhes mais liberdade e permitir que, para além do Movie Maker, usem outras ferramentas, como, por exemplo o GoAnimate, o Animoto, o Toondoo ou o Xtranormal. Já imaginaram a qualidade e a diversidade de apresentações que iríamos ter? Podíamos criar pequenos concursos a nível de turma ou de escola. O produto final seria divulgado no site escolar ou então poderia fazer parte do e-portfolio do aluno. E o melhor de tudo é que eles iriam ler o livro e esmerar-se por apresentá-lo da forma mais apelativa possível. Que mais se pode pedir? :) 

Abaixo coloquei um vídeo disponibilizado pelo Storytubes.


Share/Save/Bookmark

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Spaaze

Spaaze é mais uma ferramenta que nos permite organizar informação. O que a distingue é o facto de nos permitir fazê-lo de uma forma visual e nos dar completa liberdade na forma como organizamos os itens no nosso Spaaze.
Para utilizar o Spaaze, basta aceder, criar uma conta ou fazer o login através da nossa conta no Google, Yahoo ou openID. Após este processo é possível começar a adicionar vídeos, notas, etiquetas e "bookmarks" ao nosso espaço. Podemos facilmente visualizar, dentro do próprio Spaaze, os "bookmarks" e os vídeos que guardamos. O Spaaze é grátis, mas funciona com um sistema de pontos. Com o nosso primeiro Spaaze são-nos atribuídos 1000 pontos, que vão sendo deduzidos conforme vamos adicionando itens - 5 pontos por cada nota ou "bookmark", 4 pontos por cada vídeo e 2 pontos por cada etiqueta. Contudo, temos a possibilidade de repor pontos (500 de cada vez) quando o nosso total for inferior a 500 pontos. Para uma utilização mais rápida, podemos instalar o "bookmarklet" do Spaaze no nosso browser. Assim, sempre que quisermos adicionar algo ao Spaaze, basta clicar no bookmarklet e não precisamos entrar no Spaaze ou sair do site onde estamos.

Como usar Spaaze nas aulas?
Esta é uma ferramenta que é óptima para uso pessoal e certamente, fará as delícias de muitos de nós. No que diz respeito à comunidade escolar, podemos usá-la para organizar informação sobre um projecto escolar ou sobre tópicos a serem abordados nas aulas e depois usar um quadro interactivo para partilhá-la com os alunos.
Podemos também dividir os alunos em grupos de trabalho, criar uma conta no Spaaze para cada grupo, atribuir-lhes uma tarefa, uma webquest ou simplesmente um tópico a ser aprofundado e todos os elementos do grupo usariam o Spaaze para organizar a informação seleccionada para responder ao desafio proposto. O Spaaze poderia funcionar apenas como central de informação a partir da qual os elementos do grupo elaborariam o seu trabalho ou então o próprio Spaaze criado e a informação recolhida e organizada poderia ser o trabalho final.

Abaixo coloquei um dos vídeos disponibilizados pelo Spaaze no YouTube. Vejam e tirem as vossas conclusões.


Share/Save/Bookmark

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Merry Christmas!

Merry Christmas Everyone!
Hope you spend a wonderful day with your friends and family.


Here's a little Christmas treat, courtsey of Jen Farr. Click on the picture to visit the site.


Share/Save/Bookmark

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

ipod Ex / CopyTrans 4

Por ser véspera de Natal decidi partilhar convosco duas ferramentas que, talvez para alguns, serão uma prenda, como foram para mim. :)
Todo o utilizador do iTunes já passou por momentos de desespero quando o seu computador tem de ser formatado, ou simplesmente compra um novo. Quando isso acontece temos de começar a construir a nossa biblioteca do zero outra vez. Assim que se conectarmos o nosso iPod à biblioteca perdemos tudo o que temos no Ipod também. :(
O ipod Ex e CopyTrans 4 ajudam-nos a ultrapassar isso, pois permitem-nos copiar todo o conteúdo do nosso iPod de volta para a biblioteca do iTunes. Ambos são grátis, bastando aceder e fazer o download do software para podermos utilizá-los.

Como usar ipod Ex e CopyTrans 4 nas aulas?
Estas não são ferramentas que tenham uma aplicação em específico nas aulas, mas qualquer aluno ou professor ficará a ganhar em ter conhecimento delas, principalmente aqueles que usam iPods como ferramenta de aprendizagem.

Abaixo coloquei um screenshot de parte de um artigo chamado "Copying Content from your iPod to your Computer - The Definitive Guide". Consultem-no para mais detalhes sobre estas e outras ferramentas. 


Share/Save/Bookmark

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

FlickrPoet

FlickrPoet faz parte do Stories In Flight, criado por Thomas Sturn e, como o próprio nome indica, é mais uma ferramenta que utiliza fotografias do Flickr. A ideia é introduzir texto e vê-lo ser transformado em imagens. Faz-me lembrar o PicLit, mas ao contrário já que no PicLit partimos de uma imagem para o texto. Não é necessário qualquer registo, basta aceder e usar. O resultado final pode ser guardado através de qualquer ferramenta de screencapture. No entanto, é necessário ter em atenção que os direitos sobre as fotografias utilizadas pertencem ao utilizador do Flickr que as colocou online.

Como usar FlickrPoet nas aulas?
FlickrPoet será uma actividade interessante para utilizarmos num quadro interactivo, será uma oportunidade óptima para por os nossos alunos a pensar, a usar a imaginação e a escrever. Podemos analisar a correspondência criada pelo FlickrPoet entre o texto introduzido e as fotografias seleccionadas. Podemos inclusive atribuir-lhes um excerto de um poema e pedir-lhes para seleccionarem imagens que, segundo eles, vão ao encontro do texto. Depois, em aula, podemos usar o FlickrPoet, introduzir o mesmo excerto que atribuímos aos alunos e debater com eles a sua escolha de imagens, comparando-as com as do FlickrPoet e aproveitar para aprofundar toda a subjectividade da interpretação da arte e da vida.

Abaixo coloquei um screenshot da minha experiência com o FlickrPoet. Experimentem.

 

Share/Save/Bookmark

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Overstream / 22frames

Overstream e 22frames proporcionam-nos a possibilidade de aceder a vídeos legendados. Podemos facilmente aceder e visualizar os vídeos disponíveis, mas ambos requerem registo se quisermos dar a nossa contribuição.
Overstream permite-nos adicionar as nossas próprias legendas a vídeos disponíveis online. Para isso basta inserirmos a URL do mesmo e depois ir adicionando o nosso texto. No fim do processo guardamos o vídeo legendado no Overstream que disponibiliza também uma hiperligação para o vídeo original. Cada vídeo tem uma URL única, por isso é fácil partilhá-la com os outros. Os tutoriais disponíveis são muito claros e fáceis de seguir. Podem consultar um aqui.
22frames, por seu lado, funciona como um arquivo de vídeos legendados, recolhidos de várias plataformas - YouTube, Googlevideo, Vimeo, etc- organizando-os por tópico. Após registo, podemos também submeter os nossos vídeos ou simplesmente indicar vídeos legendados que encontramos na Web e que consideramos ser de qualidade.

Como usar Overstream e 22frames nas aulas?
Porque não pedir aos nossos alunos que seleccionem um vídeo (pode estar dentro de um tópico estipulado ou ser uma escolha pessoal) e que criem eles as legendas para o vídeo? Quanto ao 22frames, uma vez que os vídeos estão organizados por tópico rapidamente encontramos vídeos que podemos utilizar em aula, proporcionando-lhes mais oportunidades de compreenderem o que ouvem já que poderão ler o que está a ser dito. Seria interessante selecionar um vídeo no 22frames e usando o Overstream pedir aos alunos que criem as legendas (uns em português e os outros em inglês) para o mesmo vídeo, para depois analisar a tradução e comparar a legendagem feita em inglês com a que está disponível no 22frames.

Abaixo coloquei screenshots. Cliquem sobre eles para aceder.
 

Share/Save/Bookmark

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

SendShots

SendShots é mais uma ferramenta que nos permite gravar e enviar mensagens (vídeo). O serviço é grátis, bastando apenas aceder, gravar a nossa mensagem, salvá-la e, em seguida, clicar em "Send". Altura em que poderemos inserir texto para acompanhar o vídeo. Depois é só inserir o nosso e-mail e o das pessoas a quem queremos enviar a mensagem. Contudo antes desta estar disponível teremos de aceder  ao nosso e-mail e clicar na hiperligação que o SendShots nos enviou para desbloquear a mensagem e torná-la acessível aos outros.

Como usar SendShots nas aulas?
Para além de se poder utilizar esta ferramenta para atribuir/receber trabalhos ou dar feedback aos alunos, há uma série de actividades para as quais o SendShots poderia ser usado: enviar cumprimentos virtuais a colegas, alunos e familiares, manter contacto com parceiros de projectos escolares, para organizar uma espécie de resumo sobre os tópicos abordados na aula, etc.

Abaixo coloquei um screenshot do SendShots. Experimentem.

(via MakeUseOf.com)
Share/Save/Bookmark

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Harmony

Harmony é um dos projectos do GOOD e pretende nos alertar para facto de que tudo o que fazemos está interligado, tudo é acção e reacção. Assim, abordando uma série de tópicos - energia, educação, subsistência, saúde, terra, fauna/flora, conectividade, serviços e coexistência - disponibiliza recursos que nos ajudam a perceber o nosso ecossistema e como estamos ligados. Transmitindo a informação de forma apelativa, fazendo uso de imagens, texto e vídeo e mantendo um excelente nível de qualidade, no que diz respeito à informação apresentada e aos links seleccionados. O site é muito "user friendly", sendo por isso facilmente navegável. Para utilizar os recursos basta aceder.

Como usar Harmony nas aulas?
Este site é um excelente recurso para quando abordamos vários temas ("environment", por exemplo). Podemos estipular tarefas tendo por base as informações do site. Podemos também pedir aos nossos alunos que, em grupo, seleccionem um dos tópicos apresentados no site e que criem uma apresentação do que consideram ser  os factos mais importantes a transmitir aos colegas. Um dos aspectos que mais me agrada em Harmony é nos indicar algumas ideias que nos guiam nos próximos passos a dar, quando se trata de responder à pergunta: "Now What?". Ou seja depois de percebermos a dinâmica das ligações, que podemos nós fazer para ajudar? Essa seria, sem dúvida, uma questão a colocar aos nossos alunos, desafiando-os a encontrarem as suas respostas, as suas propostas de resolução e contribuições para atingirmos a harmonia.

Abaixo coloquei um screenshot do Harmony. Explorem. Verão que será tempo bem empregue.


Share/Save/Bookmark

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

VidMap

Aqui está mais uma ferramenta que me surpreendeu pela sua simplicidade e utilidade. VidMap permite-nos apresentar, lado a lado, vídeo e um mapa do Google, assim podemos seguir no mapa o percurso que foi capturado em vídeo. Confuso? :) Até não é. Imaginem que foram de férias a Londres, enquanto passeavam e iam de um lado para outro foram filmando o vosso percurso. Depois chegavam a casa faziam o upload do vídeo no Vidmap e marcavam num mapa o vosso percurso, permitindo-nos visualizar não só o que gravaram, mas também ter uma ideia mais geral do local por onde andaram. Simples, não é?!
Enfim, após registo podemos fazer o upload do vídeo directamente do nosso computador ou utilizar um do YouTube. Depois é só marcar o percurso no mapa, sincronizando-o com o vídeo. Quando terminamos podemos partilhar o link para o mesmo ou então embebe-lo no nosso site/blog.

Como usar VidMap nas aulas?
Imaginem o apelativo e informativo que seriam as nossas visitas de estudo se as colocássemos no VidMap. Podíamos depois organizar um questionário sobre o que os alunos foram vendo durante a visita, dando-lhes pistas através do vídeo/mapa.
Podíamos também pedir aos nossos alunos que organizassem um roteiro turístico sobre locais que eles achassem de interesse na nossa cidade, criando um vídeo e um mapa que mostrasse o percurso efectuado. Ou então podíamos criar vídeos de alerta ambiental, deslocando-nos aos locais filmando ou tirando fotografias (teriam de ser editadas no Movie Maker, para ser criado um vídeo) para depois criarmos um Vidmap.

Abaixo coloquei um VidMap disponível no site. Experimentem criar os vossos.



Share/Save/Bookmark

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

YouTomb

YouTomb é um projecto do MIT Free Culture e propõe-se a listar os vídeos que foram retirados do Youtube por alegada violação de Copyright. Qualquer pessoa pode aceder e ver a listagem dos vídeos, a razão pela qual foram retirados e em nome de quem foi feita a queixa. YouTomb dá especial atenção aos vídeos que foram excluídos por engano, oferendo apoio e ajuda aos utilizadores que viram os seus vídeos retirados e, em alguns casos, a sua conta bloqueada.

Como usar YouTomb nas aulas?
Qualquer professor está (ou deveria estar) consciente da linha ténue que separa o Fair Use  do Copyright Infrigement (ver Copyrightfriendly). Mas os nossos alunos tendem a esquecer que existem leis que regulam a utilização de material que não é nosso. Assim, poderemos explorar o YouTomb, tentando, mais uma vez, consciencializá-los da importância do Copyright.
Porque não estipular uma pesquisa ou melhor ainda uma webquest onde eles explorem e utilizem a informação disponibilizada pelo YouTomb para criarem, eles próprios a sua lista de vídeos que infringem a leis de Copyright e proporem formas de se fazer prevalecer essas leis?

Abaixo coloquei um screenshot do YouTomb. Explorem.


Share/Save/Bookmark

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Lexipedia / EasyDefine

Lexipedia e EasyDefine são ambas ferramentas que nos permitem alargar o nosso vocabulário. São mais que meros dicionários já que para além das habituais definições, também nos apresentam relações entre as palavras, facilitando a compreensão e apreensão de vocabulário. Não é necessário qualquer registo, basta aceder e utilizar. Lexipedia pode ser colocado directamente no nosso browser. EasyDefine, por seu lado, permite-nos fazer o download das listas criadas.

Como usar Lexipedia e EasyDefine nas aulas?
Os nossos alunos podem usá-las para rapidamente acederem às definições de palavras desconhecidas, podem ir seleccionando vocabulário e criar os seus próprios bancos de palavras relacionadas com tópicos abordados em aula. Podemos aproveitar as relações apresentadas para explorar as classes de palavras ou então para seleccionar palavras que podemos utilizar em "spelling bees".

Abaixo coloquei screenshots do Lexipedia e do EasyDefine. Acedam e experimentem.

 

Share/Save/Bookmark

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

True Tube

True Tube utiliza histórias reais para fomentar o debate sobre os mais variados tópicos, desde moralidade e ética a politica e religião. Qualquer pessoa pode visualizar ou embeber os vídeos, no seu site/blog,  mas para comentar, fazer o upload ou download de vídeos será necessário efectuar registo. Os comentários e o upload de vídeos são sempre moderados antes de serem aceites.

Como usar True Tube nas aulas?
True Tube tem um imenso valor educativo já que nos permite, de uma forma simples e objectiva, alertar os nossos alunos para assuntos de grande importância, consciencializando-os de problemas sociais e diferentes pontos de vista, deixando espaço para que, eles próprios dêem os seu contributo e apresentem as suas soluções. Assim, porque não pedir aos nossos alunos que participem e defendam os seus pontos de vista sobre algum dos tópicos? Podíamos inclusive pedir que eles criem o seu próprio vídeo  sobre algum problema social ou que abordem problemas da sua própria escola. Ou então podemos usar o True Tube como ponto de partida para trabalhos práticos sobre algum dos tópicos abordados, usando outras ferramentas como, por exemplo, o glogster ou o GoAnimate. Outra possibilidade seria fazer o download  de vídeos, atribuir um a cada grupo de alunos e pedir-lhes que adicionem legendas ao mesmo ou que apresentem e defendam a sua posição em relação ao exposto no vídeo que lhes coube.

Abaixo coloquei um dos vídeos disponibilizados pelo True Tube. Acedam e explorem.

Share/Save/Bookmark

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

VideoLobby

Ainda agora me habituei à ideia de podcasting e eis que surge uma ferramenta que nos permite criar e publicar webcasts de forma rápida e simples. VideoLobby é uma das aplicações criadas pelo Smibs.com. A sua utilização é grátis, mas requer um registo prévio. Logo que completamos o registo podemos seleccionar o serviço que queremos utilizar para a transmissão do nosso show - algumas das opções são o Ustream e o justinTV-, personalizar a nossa página com o nosso próprio logótipo e depois criar o nosso primeiro show. VideoLobby dá-nos inclusive a hipótese de interagir com os nossos espectadores já que estes nos podem fazer perguntas - podemos optar por as moderar - durante a emissão do nosso show. Depois de terminados, os episódios individuais são arquivados e podem ser acedidos em qualquer altura. Partilhar os episódios criados também é muito simples, já que podemos imediatamente publicitá-los nas redes sociais (Twitter, Facebook).

Como usar VideoLobby nas aulas?
Como comecei por apontar neste post ainda me estou habituando à ideia de podcasting, mas confesso que já estou enamorada pelas possibilidades proporcionadas pela utilização do VideoLobby. Poderíamos, criar o nosso próprio canal de televisão onde, entre outras coisas, podemos apresentar concursos, pequenos desafios nos quais os nossos alunos poderiam participar através dos comentários. Podemos criar uma grelha de programação e contar com a colaboração dos alunos na realização dos vários episódios. Podemos aproveitar para mostrar ao mundo a nossa realidade escolar, realizando entrevistas e dando conta dos projectos da escola. Podemos atribuir rubricas aos alunos e encarregá-los de as desempenharem - podem entrevistar os colegas ou professores ou partilhar um aspecto da sua vida escolar. Enfim, há muito que se pode fazer, há apenas que sentar e decidir que rumo queremos tomar.

Abaixo coloquei dois tutoriais disponibilizados pelo próprio VideoLobby. Também já criei o nosso canal. Logo que fizer uso dele serão os primeiros a saber. Se algum de vós já tiver o seu canal escolar, por favor, partilhem-no connosco. ;)




Share/Save/Bookmark

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

VoiceThread

VoiceThread é uma ferramenta que já conheço há muito tempo, mas que ainda não tinha utilizado. Existem vários tipos de conta disponíveis, mas a conta grátis deverá ser suficiente para nós, docentes. Contudo, se a vossa escola vos dá essa oportunidade então adiram à conta K-12, criada especificamente para a Educação. O Voicethread permite-nos criar apresentações interactivas nas quais os outros podem facilmente participar através de vídeo, texto ou áudio. Embora à primeira vista possa parecer complicado, criar apresentações no Voicethread é simples. Após registo, basta fazer o upload dos nossos documentos (PDF parece ser o melhor formato) e imagens, adicionar as hiperligações que quisermos e organizar a nossa apresentação da forma que mais nos convém. Depois de terminada (podemos editá-la as vezes que quisermos mesmo depois de a termos publicado) podemos partilhar a URL da mesma ou então simplesmente embebe-la no nosso blog/site.

Como usar Voicethread nas aulas?
Esta é uma ferramenta que pode e, muito sinceramente, deve ser utilizada em qualquer aula. Podemos usá-la de mil e uma formas, desde algo simples como praticar vocabulário a debates sobre tópicos abordados em aula, passando por narrativas digitais e projectos colaborativos. Enfim aqui está mais uma ferramenta que nos deixa muito espaço para fazermos o que quisermos com ela. Podem consultar vários exemplos disponíveis na biblioteca do VoiceThread. Para quem é professor de Inglês aconselho vivamente que consultem e participem com os vossos alunos nos VoiceThreads criados por David Deubeldeiss.

Abaixo coloquei o VoiceThread que criei em colaboração com Eva Buyuksimkesyan para o nosso projecto de Natal. Consultem e, desde já, agradecemos a vossa contribuição. ;-)

Share/Save/Bookmark

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Stage'D

Stage'D permite-nos criar animações muito simples. Não é necessário qualquer registo, contudo teremos fazer o download da aplicação que nos permite criar essas animações. Após a instalação do software (é grátis) facilmente seleccionamos o "background" e as personagens - no máximo duas - e damos largas à imaginação. Depois de pronta a nossa história poderá ser partilhada através das redes sociais, bastando para isso publicarmos a URL da mesma. 

Como usar Stage'D nas aulas?
Podemos utilizar esta ferramenta para criarmos animações simples que explicitem determinados tópicos abordados nas aulas ou então podemos pedir aos nossos alunos que criem, eles próprios, animações que vão ao encontro das "six word stories".

Abaixo coloquei um screenshot das instruções disponibilizadas pelo Stage'D e uma breve animação que criei a título de exemplo.



Share/Save/Bookmark

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Edublogs Awards 2009

Every year we all have the chance to thank those who have inspired us by nominating them for the Edublogs Awards . I wish we could  nominate more than one person for each category, alas that is not possible, so I have chosen to place here the ones that are the most important to me, simply because I am in awe with the work developed by these wonderful educators, who unknowingly have helped and inspired me in so many ways.

Here are my nominations:

Best individual blog TeacherBootCamp by Shelly Terrell
Best resource sharing blog Nik’s Learning Technology Blog
Most influential tweet / series of tweets / tweet based discussion #edchat
Best educational tech support blog David Kapuler’s blog
Best educational use of video /visual Teacher Training Videos by Russell Stannard
Best educational wiki Cool Tools For Schools
Best educational use of a social networking service The Educators PLN
Life Achievement Sue Waters
Best elearning / corporate education blog: Jane’s E-learning Pick of the Day – Jane Hart

Share/Save/Bookmark

Pixuffle

Pixuffle é outra ferramenta que, de uma forma "sui generis", nos permite alterar as nossas fotografias. Não é necessário qualquer registo, basta aceder, fazer o upload da imagem que queremos alterar, proceder às alterações - apenas podemos reorganizar a posição das várias partes da imagem - e depois fazer o download da nova composição.

Como usar Pixuffle nas aulas?
Esta é uma ferramenta que poderemos utilizar quando os nosso alunos trabalharem com fotografias, podendo alterá-las a seu gosto, dando largas à sua imaginação e criatividade, tornando os seus trabalhos ainda mais pessoais. Poderemos também utilizar o Pixshuflle para criar um jogo em que, por exemplo, após termos abordado um determinado tópico - arte, desporto, etc- mostraríamos-lhes imagens alteradas, que tivessem sido exploradas em aula, e eles teriam de tentar adivinhar qual o tópico ou qual era a imagem original.  Para além de podermos criar fotografias divertidas para colocarmos nos nossos sites/blogs, podíamos também explorar vocabulário, expandir temas abordados em aula ou então usar as imagens criadas como inspiração para criação de textos escritos.

Abaixo coloquei um exemplo prático. Acedam e experimentem.



Share/Save/Bookmark

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

WeTransfer

WeTransfer é mais uma ferramenta que nos permite partilhar, rápida e eficazmente, ficheiros com outras pessoas. Funciona um pouco como enviar anexos através do e-mail. WeTransfer é grátis e completamente online. Não é necessário qualquer registo, basta aceder, fazer o upload (no máximo 2GB de cada vez) dos ficheiros que queremos enviar, introduzir o nosso e-mail e o das pessoas (no máximo 20) a quem queremos enviá-los e depois clicar em "Send". Quando os nossos recipientes fizerem o download dos ficheiros enviados, somos notificados por e-mail. Os ficheiros permanecem online durante duas semanas, sendo depois eliminados.

Como usar WeTransfer nas aulas? 
WeTransfer é mais uma boa aposta quando queremos partilhar ficheiros rapidamente e sem ter que nos preocuparmos em nos registarmos em mais um site online. Podemos utilizá-lo quando os nossos alunos têm trabalhos para partilhar entre si. É uma forma muito fácil de acabar com as desculpas como: "esqueci da minha pen em casa" ou "o trabalho está no computador do aluno x ou y

 Abaixo coloquei um screenshot do WeTransfer. Acedam e experimentem.




Share/Save/Bookmark

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Thank You Movie

Thank You Movie, permite-nos criar um filme para agradecermos aos nossos "verdadeiros heróis". Basta aceder, fazer o upload da fotografia da pessoa a quem queremos agradecer e prontamente temos acesso a um filme que expressa o nosso agradecimento. Depois de terminado facilmente o partilhamos nas redes sociais ou o embebemos no nosso site/blog. A rapidez de carregamento do filme vai depender da velocidade da nossa ligação à internet. Podem sempre optar por visualizar o filme utilizando a versão mais "leve".

Como usar Thank You Movie nas nossas aulas?
Todos nós temos heróis, modelos que seguimos ao longo da nossa vida. Porque não pedir aos nossos alunos que agradeçam aos seus heróis? Podiam escrever um texto sobre a pessoa a quem querem agradecer e depois criar um filme. Seria engraçado ver quem são os seus heróis e de que forma essas pessoas contribuem para a vida deles. Seria também uma maneira de conhecermos melhor os nossos alunos.

Abaixo coloquei um filme que criei. Escolhi agradecer a Shelly Terrell, alguém que admiro muito, pela sua dinâmica e pelo muito que está a fazer por nós, professores do mundo inteiro. E vocês? Quem admiram? A quem querem agradecer?
 (Infelizmente, fiquei a saber que o Thank You Movie, dado à grande afluência de pessoas ao site, de momento, só está acessível aos habitantes da Suécia. Fica aqui a referência e realce-se a ideia, que suporta o site: agradeçam aos vossos verdadeiros heróis, aqueles que vos marcam. Podemos e devemos utilizá-la. Por enquanto ainda é possível visualizar o filme que criei, mas não sei por mais quanto tempo ele irá estar acessível. Peço desculpa , por qualquer inconveniente que isso vos possa causar.)


Share/Save/Bookmark

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Rich Internet Applications for Language Learning

Rich Internet Applications (RIA) engloba uma série de ferramentas que qualquer um de nós pode aceder para criar actividades interactivas para as nossas aulas. Foram primeiramente destinadas a professores de línguas, mas poderão ser utilizadas em qualquer disciplina.
Após registo temos à nossa disposição 9 ferramentas individuais: Audio Dropbox, que nos permite criar caixas de correio áudio, através das quais os nossos alunos nos podem contactar ou responder a alguma questão que tivéssemos colocado em aula; Broadcast, que nos permite criar os nossos próprios podcasts e publicá-los online; Conversation, que nos permite criar caixas áudio através das quais podemos organizar, de forma assíncrona, conversas/debates com/entre os alunos; MashUp, que nos permite criar actividades interactivas com vídeo, áudio e texto;  Revisions, que nos dá acesso a uma ferramenta onde podemos corrigir online os textos dos alunos, dando-lhes acesso à correcção; Scribbles, onde podemos praticar a escrita;  Worksheets, que nos permite criar fichas de trabalho interactivas que podemos utilizar para complementar as actividades do livro; SMILE, que nos permite criar actividades para praticar a língua e guardá-la em ficheiros individuais ou temáticos; e Viewpoint, que nos permite fazer o upload ou gravação online de vídeos, dando-nos a possibilidade de adicionar legendas.
Recentemente, também disponibilizaram uma outra ferramenta que nos permite criar jogos online: o QuizBreak, que segue a ideia do Jeopardy, ou seja, no jogo existem categorias, dentro de cada categoria existem questões às quais é atribuído um valor. Ganha a equipa que responder acertadamente a mais questões.
Todas as ferramentas são grátis, não sendo necessário fazer o download de qualquer software. Para qualquer uma das ferramenta estão disponíveis tutoriais que nos elucidam sobre a utilização das mesmas. Nem sequer precisamos nos preocupar com onde iremos publicar as actividades criadas já que estas são alojadas no servidor do Center for Language Education And Research na Universidade de Michigan State, criadores das RIA. Podemos inclusive embebe-las directamente no nosso site/blog.

Como usar as RIA nas aulas?
A mesma ferramenta pode ser utilizada para uma variedade de propósitos, desde exercícios interactivos à criação de jogos. As ferramentas estão disponíveis cabe-nos a nós decidir qual a melhor forma de tirar partido delas.  

Abaixo coloquei um screenshot da página incial do RIA. Cliquem na imagem para aceder a exemplos práticos da utilização de algumas das ferramentas.


Share/Save/Bookmark

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Animated Explanations

Animated Explanations oferece-nos uma série de animações que muito rápida e sucintamente nos explicam assuntos complexos. Por enquanto as animações abordam apenas tópicos relacionados com: saúde, tecnologia e trabalho. Não é necessário qualquer registo, basta aceder. Se encontrarmos algo que achamos útil podemos facilmente embeber a animação no nosso site/blog. Ou se preferirmos, apresentá-la aos nossos alunos utilizando um quadro interactivo ou um simples projector.

Como usar Animated Explanations nas aulas?
Após uma breve pesquisa seleccionamos as animações que vão ao encontro dos tópicos abordados em aula e podemos usá-las para rapidamente os introduzirmos ou revermos, ou então como ponto de partida para a escrita de um texto sobre o tópico. Podemos inclusive, usando como exemplo as  Animated Explanations pedir aos alunos que tentem criar as suas próprias animações para explicar assuntos complexos. Nas suas animações eles podiam utilizar outras ferramentas como o GoAnimate ou o MovieMaker.

Abaixo coloquei um link para uma das animações disponíveis. Cliquem sobre a imagem para aceder.


Share/Save/Bookmark

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Memoov

Memoov permite-nos criar e publicar online as nossas animações. Faz-me lembrar uma versão mais simples do GoAnimate e do DomoAnimate.
Após registo, podemos começar a criar as nossas animações. As ferramentas disponíveis são simples e muito fáceis de utilizar. Basta seleccionar o "background", as personagens e dar largas à imaginação. As animações criadas são colocadas no canal do Memoov no Youtube. Assim que depois de terminada facilmente partilhamos a nossa animação com os outros através da redes sociais ou a colocamos directamente no nosso site/blog.

Como usar Memoov nas aulas?
Creio que esta ferramenta, pela sua simplicidade será melhor para a primária ou o 5º e 6º ano e poderá ser utilizada pelos alunos para a criação de narrativas digitais. O professor poderá utilizá-la para apresentação de temas, para rever conteúdos abordados na aula, para exemplificação de role-plays, para resumos e motivação.

Abaixo coloquei um dos vídeos disponíveis no canal do Memoov. Acedam e experimentem.

Memoov via MakeUse.com
Share/Save/Bookmark

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

JigZone

JigZone disponibiliza inúmeros puzzles online. Os puzzles estão organizados por temas, o que torna a navegação e selecção do puzzle que vá ao encontro do que queremos muito fácil. O que destaca JigZone dos muitos outros sites de puzzles online é a possibilidade de criarmos puzzles a partir das nossas próprias fotografias. Primeiro há que efectuar o registo no site, depois é só fazer o upload da fotografia (no máximo 2Mb de tamanho), seleccionar o nível de dificuldade que queremos atribuir ao nosso puzzle (pode ter de 6 a 247 peças) e depois, se assim o quisermos, podemos enviá-lo via e-mail ou então colocá-lo directamente no nosso site/blog. Podemos inclusive desafiar os outros a bater o nosso tempo de resolução do puzzle. Todos os puzzles que criámos são guardados no nosso espaço no JigZone e podem voltar a ser editados.

Como usar JigZone nas aulas?
Os puzzles podem ser utilizados como "warmers" ou "fillers", mas se quisermos maximizar a utilização do JigZone podemos criar puzzles onde possamos introduzir temas, pedindo aos alunos para tentarem prever o tópico retratado na imagem ou então para rever/praticar vocabulário abordado em aula, utilizando um quadro interactivo para permitir uma melhor manipulação do puzzle pelos alunos. Podemos também pedir aos nossos alunos que criem os seus próprios puzzles sobre determinados tópicos.

Abaixo coloquei um link para um puzzle criado a partir de uma fotografia dos meus alunos. Acedam e experimentem vocês também.
My Puzzles Jigsaw Puzzle Gallery - JigZone.com



Share/Save/Bookmark

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Artsonia

Artsonia é uma galeria de arte online criada exclusivamente para os trabalhos dos nossos alunos. A ser utilizada ao longo do percurso escolar dos alunos servirá de testemunho do seu crescimento em termos de produção artística. Isso, por si só, parece-me ser razão mais que suficiente para nos juntarmos aos restantes docentes que já a utilizam.   Qualquer pessoa pode aceder e visualizar os trabalhos e facilmente partilhamos o link para os trabalhos de uma escola/país em específico. Para começar a utilizar o Artsonia há que primeiro criar uma conta, o professor acede e efectua o registo em nome da sua escola. Depois é só adicionar o nome dos alunos que são organizados por ano de escolaridade. O upload dos trabalhos pode ser feito pelos alunos ou pelo professor, mas antes de estarem disponíveis para visualização têm de ser aprovados pelo Artsonia. O que, para nós utilizadores, é mais garantia de que apenas material "seguro" é publicado. Outro dos aspectos positivos do Artsonia é que este favorece a participação dos encarregados de educação, sendo estes quem aprova os comentários feitos aos trabalhos do seu educando.

Como usar Artsonia nas aulas?
É óbvio que a disciplina que mais beneficiará do Artsonia será Educação Visual, mas as outras também poderão usufruir da galeria. Por exemplo, nas línguas, após o aluno ter seleccionado o trabalho que quer publicar, poderemos pedir-lhe que escreva um texto sobre o seu processo de criação ou que simplesmente o descreva; em história quando abordam arquitectura e arte poderiam pedir ao aluno que crie algo que represente o que estão a estudar; ou em matemática quando estudam os polígonos poderão recriá-los em programas como SketchPad e depois publicar os desenhos. 

Abaixo coloquei um screenshot do Artsonia. Acedam e explorem.



Share/Save/Bookmark

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Zunal.net / Zunal.com

Zunal.net e Zunal.com oferecem uma série ferramentas grátis que farão as delícias de qualquer docente, já que facilmente nos permitem publicar conteúdo online. Ambas requerem registo, mas é simples e vale bem a pena perder 5 minutos do nosso tempo para o fazer.
Zunal.net possibilita-nos a criação de websites, sem que seja necessário qualquer conhecimento de programação. Sendo todo processo guiado por vários tutoriais, tornando-se assim extremamente fácil adicionar o nosso conteúdo. Não há limite para o número de sites que podemos criar e uma das características que me agrada no Zunal.net é a possibilidade de tornar privado qualquer uma das páginas individuais criadas, limitando-se assim quem as pode aceder.
Zunal.com, por seu lado, abre-nos a porta ao mundo das webquests e dos e-portfolios. À semelhança do Zunal.net temos à nossa disposição uma série de tutoriais, que facilitam imenso o processo de criação e publicação de conteúdo. As webquests e e.portfolios criados são alojados no próprio Zunal.com, sendo possível efectuar pesquisas para encontrarmos webquests sobre tópicos em específico. Está também disponível um forúm onde podemos colocar as nossas dúvidas e trocar impressões com os outros utilizadores do Zunal.com.

Como usar Zunal.net e Zunal.com nas aulas?
Qualquer docente interessado em criar websites, webquests e e-portfolios encontrará nestas duas ferramentas um óptimo local para começar. Para além disso os alunos também podem aceder e criar, eles próprios o conteúdo, por isso porque não incumbi-los de criarem e-portfolios e websites temáticos sobre os temas abordados em aula? Podemos inclusive pedir-lhes que, em grupo, criem as suas próprias webquests.

Abaixo coloquei screenshots. Cliquem para aceder e explorar o que Zunal.net e Zunal.com têm para nos oferecer.

 


Share/Save/Bookmark

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

FlashVortex

FlashVortex permite-nos criar animações simples (botões, "banners" e caixas de texto) em flash que podemos colocar no nosso site/blog/wiki, sem que seja necessário fazer qualquer tipo de download de software ou ter qualquer domínio de Flash. Também não será necessário efectuar qualquer registo, basta aceder, seleccionar o design que queremos, introduzir o nosso texto e prontamente vemos ser criado a nossa faixa. Depois é só copiar o código HTML e colá-lo no nosso site/blog. Existem limitações para a utilização do FlashVortex quando utilizamos a versão grátis, mas nada que afecte o utilizador ocasional de Flash. Basicamente, não nos é possível retirar a referência ao FlashVortex da nossa faixa e estamos limitados a um tamanho específico.

Como usar FlashVortex nas aulas? 
Esta é uma ferramenta que não terá aplicação prática em aula. Se bem que, aqueles de nós que têm alunos com blogs individuais podiam pedir-lhes que utilizassem o FlashVortex para criar uma mensagem de boas vindas para os seus blogs. Depois podíamos analisar a escolha do efeito, a cor e tipo de letra utilizada e como isso contribuiria ou não para o qualidade do design geral do blog.
Outra aplicação possível seria nós próprios criarmos faixas que depois colocaríamos no nosso blog/site e mesmo nas nossas plataformas moodle conferindo-lhes um aspecto mais dinâmico.

Abaixo podem ver um exemplo que criei. Acedam e experimentem.

Share/Save/Bookmark

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Stories About People

Stories About People faz parte do site Manythings.org e oferece-nos acesso fácil a biografias em formato mp3, que podemos ouvir online ou fazer download. Se preferirmos, podemos também imprimir o texto. O Stories About People reúne uma série de biografias que abarcam um leque variado de pessoas, desde políticos a escritores, atletas, artistas, passando inclusive por personagens como Johnny Appleseed. Para ter acesso aos recursos disponíveis não é necessário qualquer registo, basta aceder.

Como usar Stories About People nas aulas?
Podemos imprimir a biografia que quisermos abordar em aula e organizar um exercício de "listening comprehension" com questões ou simplesmente um texto com espaços em branco ou com informação que os alunos teriam de completar. Podemos também pedir-lhes que, tendo por base o que ouviram, escrevam um texto sobre a pessoa em questão, mencionando aqueles que eles acham ser os factos mais importantes. Outra ideia engraçada seria pedir-lhes que criem a biografia dessa pessoa no Biographicon ou então que usem a informação disponível no Stories About People e tentem criar a versão virtual dessa pessoa no Virsona.

Abaixo coloquei um screenshot do ManyThings.org. Acedam e explorem.



Share/Save/Bookmark

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Vloud

Vloud é uma ferramenta muito simples, cuja única função é aumentar o volume de ficheiros mp3s. Não é necessário qualquer registo,basta aceder fazer o upload do nosso ficheiro e rapidamente o Vloud aumenta o volume do mesmo. Depois podemos optar só por ouvir o mp3 ou fazer o download para o nosso computador.

Como usar o Vloud nas aulas?
O Vloud não tem uma aplicação prática em aula, mas para aqueles de nós que já gravaram role-plays ou qualquer outro de tipo de actividades que envolvam gravações áudio, o Vloud pode ser muito útil, já que, por vezes a gravação fica muito baixa. Depois de tornarmos os nossos mp3 mais audíveis, podemos utilizar o Audacity para fazermos misturas e alterações à nossa gravação. Podemos até criar podcasts de melhor qualidade.

Abaixo coloquei um screenshot do Vloud. Acedam e experimentem.


Share/Save/Bookmark

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Speechable / Captioner / BeFunky

Hoje o meu amigo David Kapuler mencionou o Speechable, lembrando-me de que, há algum tempo atrás, Janet Bianchini abordou uma série de actividades que se podia desenvolver em aula, com as nossas fotografias. Aproveitando a sua intervenção gostaria de partilhar convosco o Speechable e o Captioner, ferramentas através das quais podemos adicionar balões de texto às nossas imagens, permitindo-nos criar foto-histórias.
Tanto o Speechable como o Captionar não requerem qualquer registo, basta aceder, fazer o upload das nossas fotos, alterá-las como quisermos e depois fazer o download para o nosso computador. Neste aspecto o Speechable permite-nos mais espaço de manobra já que podemos simplesmente copiar o código HTML e embeber a fotografia directamente no nosso blog/site.
Para podermos tirar partido das fotografias dos nossos alunos, sem expô-los, podemos usar também o BeFunky e aplicar efeitos às fotografias de forma a que a sua identidade esteja protegida.

Como usar Speechable e Captioner nas aulas?
Podemos pedir aos alunos que criem uma foto-história. Para isso acederiam primeiro ao Befunky onde aplicariam o efeito "cartonizer" às fotografias e depois usariam o Speechable ou o Captioner para adicionar os balões de texto que dariam vida à sua história. Depois de terminado este processo, poderiam partilhar a história, criando um vídeo no Movie Maker ou simplesmente fazendo o upload da sequência de fotografias em sites como Photopeach, Slide.com ou ScrapBlog.

Abaixo coloquei uma fotografia que primeiro alterei no Befunky e depois utilizei o Captioner para adicionar os balões. Experimentem vocês também.



Share/Save/Bookmark

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Speech Accent Archive

O Speech Accent Archive faz parte do programa de linguística do departamento de Inglês da Universidade George Mason e tem por objectivo criar um arquivo áudio com a pronúncia de vários falantes de Inglês. Proporcionando-nos a oportunidade de constatar as diferenças existentes na pronúncia,de cada um,  dependendo do seu "background" linguístico.
Não é necessário qualquer registo, basta aceder e seleccionar os falantes que gostaríamos de ouvir. As gravações podem ser pesquisadas por língua nativa ou por país. Todos os falantes lêem exactamente o mesmo texto (criado para reunir todos os sons ingleses), tornando mais fácil detectar as diferenças entre eles.

Como usar Speech Accent Archive nas aulas?
David Deubelbeiss já nos deu uma ideia brilhante para usarmos o Speech Accent Archive nas aulas. Criou um jogo em que se pede aos alunos que adivinhem a nacionalidade do falante, aproveitando não só para estudar as diferentes pronúncias, mas também para abordar os estereótipos que se criam à volta disso.
Podíamos também pedir que fossem os alunos a criar uma apresentação sobre determinados falantes de Inglês, usando os vários recursos à sua disposição, por exemplo,   Culture Crossing e, é claro, o próprio Speech Accent Archive.

Abaixo coloquei dois screenshots: um do jogo criado pelo David DeubelBeiss e o outro para o jogo "Can you guess where my accent is from?". Cliquem nas imagens para aceder.

 


Share/Save/Bookmark

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Magntize

Magntize reúne  num só espaço toda a nossa presença na web, funcionando um pouco como o nosso cartão de visita online. Uma espécie de e-portfolio que podemos utilizar a nível profissional ou pessoal. Magntize disponibiliza dois tipos de conta: uma grátis e outra paga. A primeira é mais que suficiente, mas se querem ter mais controlo, o vosso próprio domínio e mais opções por onde escolher, então, por cerca de 8 euros mensais, adiram à conta "pro". O processo de criação da nossa página é extremamente fácil. Basta aceder, efectuar o registo e ir adicionando a nossa informação, conforme ela vai sendo requisitada.

Como usar Magntize nas aulas?
Os nossos alunos já fazem parte das redes sociais. Porque não consciencializá-los da importância da criação da nossa identidade pessoal no mundo virtual? Mostra-lhes que aquilo que publicamos, aquilo que criamos e colocamos online, sejam fotos, texto, animações ou vídeos contribuem para a criação dessa identidade, que há que ter noção da nossa "digital footprint" e, na medida do possível, usá-la para criarmos laços profissionais e pessoais que alarguem os nossos horizontes.
Podemos, por exemplo, pedir-lhes que imaginem que querem concorrer a um determinado emprego, usando o Magntize como forma de promoverem as suas competências e qualidades. O quê que incluiriam? O quê que achavam que não seria boa ideia incluir e porquê? A que informações acederiam os potenciais empregadores se fizessem um pesquisa google ao nome deles?
Podemos também simplesmente pedir-lhes que criem a sua página, algo que nos mostre de que maneira estão a utilizar a Web e constatar as mudanças que eles vão fazendo na mesma, ao longo do ano escolar.

Abaixo coloquei, a título de exemplo, uma página criada no Magntize.


Share/Save/Bookmark

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Vaestro

Vaestro é um site virado para a troca de mensagens áudio. É, certamente, outra ferramenta que nos auxiliará quando quisermos proporcionar aos nossos alunos mais oportunidades para praticarem a oralidade. Após registo podemos participar livremente nos vários fóruns, criar novos tópicos e podemos inclusive criar novos canais. Qualquer utilizador pode aceder e participar livremente, contudo, se pagarmos cerca de 4euros mensais, temos a possibilidade de criar canais privados, nos quais, na qualidade de administradores do canal, temos acesso a uma série de ferramentas que nos permitem exercer um maior controlo sobre vários aspectos, por exemplo, quem acede, quem banimos, etc. Todo o processo é simples, mas para o utilizador menos experiente o site disponibiliza vários tutoriais que facilmente clarificam qualquer dúvida.

Como usar Vaestro nas aulas?
Vaestro dá-nos a possibilidade de criar podcasts interactivos e áudio blogs, podemos então criar um canal para a nossa disciplina, colocar questões e pedir a cada aluno para aceder e dar a sua contribuição. Podemos também optar por criar um fórum, dentro desse canal, onde os alunos apresentem dúvidas ou então simplesmente pratiquem estruturas e vocabulário abordado em aula.

Abaixo coloquei um screenshot de um dos canais disponíveis no Vaestro. Acedam e experimentem.


 
Share/Save/Bookmark

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

English Central

English Central permite-nos praticar aquela que é, provavelmente,  a competência mais negligenciada no ensino de Inglês como língua estrangeira: a oralidade. Não é que não tenhamos consciência da sua importância, o problema é que acabamos por privilegiar a escrita e o domínio de conteúdos gramaticais, já que é sobre isso que os testes incidem.
O English Central usa um das formas mais eficazes, que já vi até hoje, para praticarmos a oralidade. O processo é simples: registamo-nos, seleccionamos o vídeo (os vídeos estão organizados por nível de dificuldade) através do qual seremos testados, depois é só ouvir e ir gravando, frase a frase, o que ouvimos. É-nos dada uma avaliação imediata da nossa leitura e vamos acumulando pontos conforme a nossa precisão. Podemos interromper a leitura a qualquer momento, tendo a oportunidade de retomá-la e melhorá-la mais tarde.

Como usar English Central nas aulas?
Poderemos pedir que os nossos alunos pratiquem a oralidade estipulando quais os vídeos que queremos que acedam. Podemos organizar um desafio entre eles para ver quem consegue obter mais pontos. Podemos surpreende-los e pedir que gravem o texto (sem visualizarem o vídeo) através do Audiopal ou do Vocaroo e depois confrontá-los com o vídeo e com um "teste" para sua precisão oral. Aqueles de nós que têm alunos com dislexia e/ou com muitas dificuldades na pronúncia e dicção podem usar o English Central para lhes proporcionar mais oportunidades para praticarem a oralidade em casa.

Abaixo coloquei um screenshot do vídeo de demonstração. Cliquem para visualizar. 



Share/Save/Bookmark

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Energy Quest Room

Energy Quest Room disponibiliza uma série de recursos sobre educação ambiental. Transmitindo a informação de forma apelativa e mantendo um excelente nível de qualidade, no que diz respeito à informação apresentada, aos links seleccionados e aos recursos disponibilizados. O site é muito "user friendly", sendo por isso facilmente navegável. Para utilizar os recursos basta aceder. Existe inclusive um secção dedicada a professores com sugestões e planos de aula.

Como usar Energy Quest Room nas aulas?
Este site poderá ser um excelente recurso se pretendermos organizar uma webquest sobre energia e sustentabilidade. Quando abordamos o tema "environmnent" podemos estipular tarefas tendo por base as informações do site. Podemos também pedir aos nossos alunos que, em grupo, seleccionem um dos tópicos apresentados no site e que criem uma apresentação do que consideram ser  os aspectos mais importantes a transmitir aos colegas. Nesta tarefa poderiam usar ferramentas com GoAnimate ou Prezi.

Abaixo coloquei um screenshot do Energy Quest Room. Explorem.



Share/Save/Bookmark

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Copyrightfriendly

Copyrightfriendly é um wiki que pretende ajudar-nos a encontrar sons e imagens passíveis de serem utilizados nos nossos blogs, wikis, websites e etc, sem que nos tenhamos de preocupar com direitos de autor. Para isso, este wiki agrega uma série de links para locais na web que disponibilizam material que podemos usar sem ser necessário requerer permissão. Contudo, é de realçar que devemos sempre citar as nossas fontes.

Como usar Copyrightfriendly nas aulas?
Se há algo que os meus alunos têm dificuldade em fazer é citar as suas fontes. Em geral, acabam sempre por se esquecer ou então citam-nas de forma errada. Ainda têm dificuldade em perceber que o facto de estar online não é sinónimo de "posso usar". Através do Copyrightfriendly é possível guiá-los nas suas pesquisas de material  para usarem online, procurando limitá-las ao que pertence aos "Creative Commons". Podemos explorar o wiki com eles, deixando-os seleccionar os links que mais lhes agradam, tentando consciêncializá-los da importância de citarmos as nossas fontes. Podemos inclusive aproveitar para mostrar-lhes a seguinte apresentação que explica como funciona os "Creative Commons".

Abaixo coloquei um screenshot do Copyrightfriendly. Explorem.


Share/Save/Bookmark

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

60 Second Recap / Lit Charts

60 Second Recap e Lit Charts são guias de literatura. Dão-nos a oportunidade de, rapidamente, abordarmos o tema, os símbolos, a trama e as personagens de uma obra literária. Providenciando também uma breve biografia do autor e informações sobre aspectos culturais retratados na obra. Qualquer um deles fará as delícias tanto dos alunos como dos professores.
60 Second Recap apresenta-nos a informação, sobre cada obra, em vários vídeos de 60 segundos, através dos quais, Jenny, a nossa apresentadora energética, nos esclarece e aponta os aspectos mais importantes da obra. Podemos aceder livremente, sendo-nos permitido, após registo,  partilhar os nossos próprios "60 second recaps" sobre qualquer uma das obras. Uma vez que o site ainda é novo a sua colecção não é extensa, mas todas as semanas é adicionada uma nova obra e podemos, inclusive, enviar pedidos para abordarem uma obra em específico.
Lit Charts, por seu lado disponibiliza guias que focam os aspectos mais importantes da obra. Podemos lê-los online ou  fazer o download dos mesmos em formato PDF, sem que seja necessário registarmo-nos. Podemos ainda optar por adquirir uma aplicação, por cerca de 0,75 cêntimos, que nos permite visualizar o ficheiro directamente num iPhone.

Como usar 60 Second Recap e Lit Charts nas aulas?
Estas duas ferramentas, usadas em conjunto, são uma espécie de "dream come true" para qualquer aluno de línguas, pois permitem que facilmente se compreenda uma obra. É óbvio que não substituem a sua leitura, mas facilitam imenso a compreensão da mesma. São sem dúvida também uma forma de nós, professores, vermos a obra que vamos abordar em aula, dividida nos seus aspectos mais importantes, facilitando assim a preparação de actividades sobre a mesma.
Um dos aspectos que me agrada no 60 Second Recap é a possibilidade dos alunos também poderem partilhar os seus próprios resumos e opiniões. Seria óptimo se após a leitura da obra lhes pedíssemos para criarem esse tipo de vídeos. Mesmo que não os coloquemos no 60 Second Recap, podemos partilhá-los com outras turmas e usá-los como base de debate sobre a obra. 

Abaixo, a título de exemplo, coloquei screenshots que vos darão acesso à obra Animal Farm de George Orwell. Acedam e comparem a abordagem feita pelo 60 Second Recap e pelo Lit Charts.

(60 Second Recap, via Instructify)

Share/Save/Bookmark

terça-feira, 10 de novembro de 2009

YouScrobble

YouScrobble é uma ferramenta online que nos permite fazer o download legal de músicas, usando como fonte os sites Last.fm e  YouTube. Dispomos de 5 downloads diários, se não efectuarmos registo e 15 se nos registarmos. Todo o processo é muito simples, basta aceder, seleccionar a música que queremos e depois clicar no botão  "Download". O site tende, por vezes, a ser um pouco lento, mas nada que um pouco de paciência não ultrapasse.

Como usar YouScrobble nas aulas?
Esta é uma forma muito simples de fazer o download de músicas que queremos usar em aula. Podemos criar ficheiros temáticos com diferentes tipos de música ou simplesmente usar o YouScrobble para aumentar de forma legal a nossa própria biblioteca de músicas.

Abaixo coloquei um screenshot do YouScrobble. Tem um aspecto muito semelhante ao próprio Youtube. Cliquem na imagem para aceder.



Share/Save/Bookmark

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Typo Generator

Typo Generator é fruto de um projecto desenvolvido por Katharina Nussbaumer. O Typo Generator cria uma espécie de póster, onde há uma mistura do texto introduzido, com imagens aleatórias. O propósito não é tanto criar um póster "normal", mas sim uma mescla de texto com imagem que, embora não seja sempre legível, será sempre um pouco como uma obra de arte abstracta, criada a partir do nosso texto.
Para utilizar o Typo Generator basta aceder, introduzir o nosso texto e clicar em "Generate". Se não gostarmos do poster criado podemos alterar a cor, o fundo, o tipo de letra e voltar a clicar em "Generate". É possível repetir este processo as vezes que quisermos até estarmos satisfeitos com o resultado apresentado.

Como usar Typo Generator nas aulas?
Esta é uma ferramenta que poderá ser utilizada para criar pósteres personalizados para um projecto/trabalho escolar. Poderá também ser usada para apresentarmos vocabulário ou mesmo criar uma espécie de "guessing game", onde o aluno teria de, a partir das palavras visualizadas, adivinhar o tópico da aula ou inseri-las num tema já abordado em aula (hobbies, clothes, environment, etc).

Abaixo coloquei, a título de exemplo, algumas imagens criadas no Typo Generator. Introduzi a palavra ZarcoEnglish.
 
 
 


Share/Save/Bookmark

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Blabbelon

Blabbelon é uma nova ferramenta que nos permite falar com várias pessoas ao mesmo tempo, sem que seja necessário fazer download e instalação de qualquer software. É grátis e completamente privado, já que, nós decidimos quem queremos adicionar à conversa.
Antes de podermos usar o Blabbelon há que nos registarmos, depois para iniciarmos uma conversa (uma "Blab") será necessário seleccionar o botão que queremos que nos permita falar e, em seguida, adicionar os contactos das pessoas com quem queremos conversar ou então simplesmente enviar-lhes a URL da nossa "blab". Não há qualquer limite para o número de pessoas que se pode adicionar e para falar,com elas, um pouco à semelhança de um "walkie-Talkie", basta clicar no botão que seleccionamos previamente.
Ao usar o Blabbelon podemos comunicar com os outros enquanto fazemos outras coisas: navegar na net, escrever um e-mail, jogar ou mesmo trabalhar num documento, bastando para isso que nos mantenhamos online.

Como usar Blabbelon nas aulas?
Esta ferramenta é extremamente simples e, como nos permite estar noutras aplicações enquanto conversamos, poderá ser utilizada pelos nossos alunos quando estiverem a desenvolver um trabalho de grupo ou simplesmente para estudarem juntos, podendo rapidamente esclarecer dúvidas. Para nós, professores também será de grande utilidade, pois podemos, por exemplo, estar a trabalhar em coisas diferentes e manter contacto com os nossos colegas que nos podem ajudar, caso precisemos.

Abaixo coloquei um screenshot do Blabbelon. Experimentem.


Share/Save/Bookmark

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Geocube

Geocube é fruto de uma iniciativa Europeia e foi desenvolvido por HERODOT (European Network for Geography in Higher Education). Geocube permite-nos aceder a um cubo que explora 54 tópicos relacionados com a vida no nosso planeta, abordando desde a população ao ambiente. Os tópicos individuais estão agrupados por temas gerais em cada uma das faces do cubo. Não é necessário qualquer registo e o cubo é facilmente manipulado pelo utilizador. Um dos aspectos, que, certamente, será de uma mais valia, é a possibilidade de podermos fazer o download, em formato PDF, do conteúdo de qualquer um dos tópicos abordados.

Como usar Geocube nas aulas?
Embora provavelmente a disciplina de Geografia seja a que mais beneficia do Geocube, este pode ser também utilizado nas aulas de Inglês e de Área Projecto. Quando abordamos, por exemplo, o tema ambiente podemos pedir aos nossos alunos que explorem o cubo e nos apresentem o que encontraram de útil. Ou então podemos simplesmente explorar o vocabulário e as imagens apresentadas e depois pedir-lhes que criem a sua própria apresentação sobre um dos vários tópicos abordados.

Abaixo coloquei um screenshot do Geocube. Experimentem.



Share/Save/Bookmark